terça-feira, 23, julho, 2024

adm.portalatualizado@gmail.com
(92)98474-9643

Search
Close this search box.

Operação ‘Jogo Marcado’: saiba quem são os donos das empresas alvo de investigação

Com três prisões efetuadas, o Ministério Público do Estado do Amazonas (MPAM), por meio da 77ª Promotoria de Proteção e Defesa do Patrimônio Público (77ª Prodepp/MPAM), deflagrou em Manaus e Curitiba (PR), na manhã desta quarta-feira (3), a operação “Jogo Marcado”, que investiga fraudes em licitações na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) José Rodrigues, localizada na Zona Norte da capital amazonense.

O esquema, que envolve 40 contratos com a unidade de saúde, desviou dos cofres públicos quase R$ 2 milhões.

Entre os presos estão a diretora-presidente da unidade Lara Luiz Farias, a diretora financeira Giovana Antonieta e o empresário Edmilson Sobreira.

De acordo com o promotor Edinaldo Aquino, o trio é suspeito de falsificar processos licitatório que beneficiavam as seis empresas da família de Edmilson Sobreira.

Nas investigações, constatou-se que uma única família, dona de seis empresas, participava das licitações na unidade de saúde e combinava os valores entre elas.

Em seguida, os proprietários apresentavam os orçamentos, sempre com valores próximos de R$ 50 mil, ao setor de compras da UPA, para serem contratados por dispensa de licitação. No cruzamento de informações, o MPAM descobriu transações bancárias entre os empresários e servidores públicos.

Os contratos realizados diretamente com a UPA incluíram serviços de assessoria jurídica, assessoria de pintura, manutenção, limpeza, assessoria contábil, entre outros serviços atendidos pelo mesmo grupo.

Veja lista:

Elenice dos Santos Lima

Ednelson Dantas Sobreira de Souza (dono de duas empresas investigadas)

Julielson Souza Cordovil

Rodrigo Victor Medeiros Bastos e Franklin Jana Pinto (sócios da mesma empresa)

Renner da Cruz Silva

Ao todo, foram cumpridos 22 mandados entre Manaus e Curitiba (PR), sendo três de prisão temporária (duas diretoras e um empresário), 12 de busca domiciliar e sete de busca pessoal, entre as residências dos investigados e a própria UPA.

A maior apreensão ocorreu no escritório central de uma das empresas, situado no Parque das Laranjeiras, Zona Centro Sul.