terça-feira, 23, julho, 2024

adm.portalatualizado@gmail.com
(92)98474-9643

Search
Close this search box.

CARIMBADORES: Suspeito de abusar e transmitir HIV a crianças e adolescentes é preso em Manaus

O técnico em edificações Rodrigo Wenderson Nunes dos Santos, de 31 anos, foi preso na noite de terça-feira (11) em Manaus. Ele é suspeito de abusar sexualmente de crianças e adolescentes e de transmitir o Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV) às vítimas.

De acordo com a polícia, Rodrigo se entregou espontaneamente. Tanto ele quanto Victor Igor dos Santos, técnico em enfermagem de 21 anos, foram alvos da “Operação Carimbadores”, realizada pela Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (DEPCA) em maio deste ano.

Os policiais da DEPCA continuam as buscas por Victor Igor dos Santos, suspeito dos mesmos crimes. A dupla havia sido presa no dia 10 de maio durante a Operação Carimbadores, mas foi liberada após o término do prazo de 30 dias de prisão temporária. As autoridades então pediram a conversão das prisões para preventivas.

A delegada Juliana Tuma, titular da DEPCA, informou que, com base nas provas coletadas durante as investigações, a Justiça do Amazonas decretou novamente a prisão preventiva de Rodrigo Wenderson e Victor Igor.

Entenda o Caso

Rodrigo Wenderson Nunes dos Santos, técnico em edificações de 31 anos, e Victor Igor dos Santos, técnico em enfermagem de 21 anos, foram presos no dia 10 de maio deste ano, após a polícia descobrir que eles atacavam e estupravam crianças e adolescentes em banheiros de shoppings e outros espaços públicos, com o objetivo de transmitir HIV para as vítimas.

Eles também faziam fotos dos estupros e compartilhavam em grupos de pedófilos, no app, o casal de intitulava como “carimbadores”, porque marcavam as vítimas com a doença. O crime foi descoberto por funcionários de uma assistência técnica que fizeram manutenção no aparelho de um dos acusados.

No celular, foram encontrados vários áudios e imagens. Em alguns, eles trocavam dicas de como selecionar as vítimas mais vulneráveis e chegavam a afirmar que crianças de suas próprias famílias e de amigos já estavam “prontas” para serem violentadas e “carimbadas”.