terça-feira, 25, junho, 2024

adm.portalatualizado@gmail.com
(92)98474-9643

Search
Close this search box.

MPF diz que Felipe Neto não cometeu crime ao chamar Arthur Lira de “excrementíssimo”

O Ministério Público Federal no DF pediu, na última sexta-feira, o arquivamento do pedido de abertura de procedimento investigatório feito pelo presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (PP), contra o influenciador Felipe Neto. Segundo o deputado, o youtuber teria cometido um crime após chamá-lo de “excrementíssimo”. As informações são do site O Globo.

“É preciso que a gente fale mais, se comunique mais, fale mais com o povo, convide mais o povo para participar. É preciso, fundamentalmente, que a gente altere a percepção em relação ao que é um Projeto de Lei como o 2.630, que foi infelizmente triturado pelo excrementíssimo Arthur Lira”,escreveu Felipe em postagem no X, o antigo Twitter.

Na avaliação do procurador responsável por analisar o caso, “as palavras duras dirigidas ao deputado, conquanto configurem conduta moralmente reprovável, amoldam-se a ato de mero impulso, um desabafo do investigado, não havendo o real desejo de injuriar ou lesividade suficiente”.

Ao acionar a Polícia Legislativa e abrir um pedido de investigação contra Neto, Arthur Lira alegou haver a ocorrência de crime contra a sua honra. O caso ainda será analisado pela 10ª Vara Federal do Distrito Federal.

“É muito bom ver que o órgão máximo do Ministério Público percebeu na conduta do Deputado Arthur Lira uma clara tentativa de silenciar quem se utiliza de uma simples brincadeira para criticar a sua atuação enquanto parlamentar. Como eu sempre disse: a verdade sempre prevalece, e eu continuarei lutando contra toda e qualquer tentativa de silenciamento”, avalia Felipe.