domingo, 14, abril, 2024

adm.portalatualizado@gmail.com
(92)98474-9643

Search
Close this search box.

Putin alerta Ocidente para risco de guerra nuclear

O presidente Vladimir Putin disse aos países ocidentais, nesta quinta-feira (29), que eles correm o risco de provocar uma guerra nuclear se enviarem tropas para lutar na Ucrânia, alertando que Moscou tem as armas para atacar alvos no Ocidente.

A guerra na Ucrânia desencadeou a pior crise nas relações de Moscou com o Ocidente desde a crise dos mísseis cubanos de 1962.

Putin já havia falado dos perigos de um confronto direto entre a Otan e a Rússia, mas o seu alerta nuclear nesta quinta-feira foi um dos mais explícitos.

Dirigindo-se aos legisladores e a outros membros da elite do país, Putin repetiu a sua acusação de que o Ocidente estava empenhado em enfraquecer a Rússia.

Ele sugeriu que os líderes ocidentais não compreendiam quão perigosa poderia ser a sua intromissão no que ele considerava os assuntos internos da própria Rússia.

Ele introduziu seu alerta nuclear com uma referência específica a uma ideia, lançada pelo presidente francês Emmanuel Macron na segunda-feira, de membros europeus da Otan enviarem tropas terrestres para a Ucrânia – uma sugestão que foi rapidamente rejeitada pelos Estados Unidos, Alemanha, Reino Unido e outros.

“(As nações ocidentais) devem entender que também temos armas que podem atingir alvos no seu território. Tudo isto realmente ameaça um conflito com o uso de armas nucleares e a destruição da civilização. Será que eles não percebem isso?”disse Putin .

Falando antes das eleições presidenciais de 15 e 17 de março, quando certamente será reeleito para outro mandato de seis anos, ele elogiou o que disse ser o arsenal nuclear amplamente modernizado da Rússia, o maior do mundo.

“As forças nucleares estratégicas estão em um estado de prontidão total”,disse ele, observando que as armas nucleares hipersônicas de nova geração de que falou pela primeira vez em 2018 foram implantadas ou estavam em uma fase em que o desenvolvimento e os testes estavam sendo concluídos.

Visivelmente irritado, Putin sugeriu que os políticos ocidentais lembrassem o destino de pessoas como Adolf Hitler, da Alemanha nazista, e Napoleão Bonaparte, da França, que invadiram a Rússia sem sucesso no passado.

“Agora as consequências serão muito mais trágicas”, disse Putin. “Eles acham que (a guerra) é uma caricatura”, disse ele, acusando os políticos ocidentais de esquecerem o que significava uma guerra real porque não enfrentaram os mesmos desafios de segurança que os russos enfrentaram nas últimas três décadas.

Mais tropas para a fronteira

As forças russas agora têm a iniciativa no campo de batalha na Ucrânia e avançam em vários lugares, disse Putin.

A Rússia também deve reforçar as tropas que destacou ao longo das suas fronteiras ocidentais com a União Europeia, depois da Finlândia e da Suécia terem decidido aderir à aliança militar da Otan, acrescentou.

O veterano líder do Kremlin rejeitou as sugestões ocidentais de que as forças russas poderiam ir além da Ucrânia e atacar os países europeus, considerando-as “absurdas”.

Ele também disse que Moscou não repetiria o erro da União Soviética e permitiria que o Ocidente a “arrastasse” para uma corrida armamentista que consumiria muito do seu orçamento.

“Portanto, a nossa tarefa é desenvolver o complexo industrial de defesa de forma a aumentar o potencial científico, tecnológico e industrial do país”, afirmou.

Putin disse que Moscou está aberta a discussões sobre estabilidade estratégica nuclear com os Estados Unidos, mas sugeriu que Washington não tem interesse genuíno em tais negociações e está mais focado em fazer afirmações falsas sobre os supostos objetivos de Moscou.

“Recentemente, tem havido cada vez mais acusações infundadas contra a Rússia, por exemplo, de que supostamente iremos implantar armas nucleares no espaço. Tal insinuação é um estratagema para nos levar a negociações nos seus termos, que são favoráveis ​​apenas aos Estados Unidos”, disse ele.

“Nas vésperas das eleições presidenciais dos EUA, eles simplesmente querem mostrar aos seus cidadãos e a todos os outros que ainda governam o mundo.”

*Com informações da CNN Brasil