terça-feira, 18, junho, 2024

adm.portalatualizado@gmail.com
(92)98474-9643

Search
Close this search box.

Família escondeu idoso que estuprava netas de 6 e 8 anos em Manaus, diz polícia

O idoso de 61 anos preso na quinta-feira (18) por abusar sexualmente de duas netas, de 6 e 8 anos, foi mantido escondido pela família para fugir da polícia. Ele foi capturado na comunidade Janauari, em Iranduba, no interior do Amazonas.

Os abusos ocorriam na casa do autor, onde as vítimas moravam, no bairro Monte das Oliveiras, Zona Norte de Manaus.

Em coletiva de imprensa realizada nesta sexta-feira (26/01), a delegada Joyce Coelho, titular da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e ao Adolescente (Depca), informou que a denúncia chegou à delegacia em abril de 2023, quando a mãe das crianças levou as meninas à unidade policial.

“As vítimas moravam com os avós paternos desde pequenas, tendo em vista que a mãe não tinha condições de criá-las. Ainda em 2023, pouco antes da denúncia, a tia das vítimas presenciou o autor abusando sexualmente da menina de oito anos durante a madrugada, e contou para a esposa dele, mas nada foi feito”, disse a delegada.

Conforme a autoridade policial, tendo em vista que nada havia sido feito, a tia contou o fato para a mãe das meninas, que foi até a casa e tirou elas do local. A partir disso, a mãe, as vítimas e a tia foram à Depca e registraram o Boletim de Ocorrência (BO) contra o homem.

“Durante escuta especializada as meninas confirmaram que eram violentadas sexualmente pelo infrator, fato que foi comprovado posteriormente por exame pericial”, relatou Joyce Coelho.

Com base nisso, a delegada representou à Justiça pela prisão do autor, e a ordem judicial foi decretada. No entanto, a família do homem passou a escondê-lo, mas a equipe policial continuou investigando o seu paradeiro, para que o inquérito fosse encerrado.

“Conseguimos informações que ele estava morando na comunidade Janauari, em Iranduba. Fomos ao endereço e efetuamos a prisão”, informou.

O idoso responderá por estupro de vulnerável. Ele será encaminhado à audiência de custódia e ficará à disposição do Poder Judiciário.

Fonte: Em Tempo