quarta-feira, 21, fevereiro, 2024

adm.portalatualizado@gmail.com
(92)98474-9643

Search
Close this search box.

Por determinação da Justiça vice-prefeito de Borba assume prefeitura após prisão de Simão Peixoto

José Pedro Freitas Graça, vice-prefeito de Borba, interior do Amazonas, assumiu a prefeitura do município por determinação da justiça, após a prisão do prefeito Simão Peixoto durante a Operação “Voz do Poder”, conduzida pela Polícia Federal.

A operação investiga a manipulação de testemunhas em um caso relacionado a desvios de recursos públicos destinados à compra de merenda escolar em 2020, durante a pandemia de Covid-19.

Em uma nota divulgada pela Câmara Municipal de Borba, foi confirmada a posse de José Pedro Graça, em uma sessão extraordinária solene marcada para a segunda-feira, dia 15. No entanto, diante da necessidade de evitar a vacância do cargo municipal, José Pedro Graça recorreu à justiça.

O juiz Laossy Amorim Marquezini, de Borba, determinou que a Câmara Municipal desse posse ao vice-prefeito em 24 horas, mas conseguir cumprir a determinação judicial, o magistrado revolveu. Assim, José Pedro Graça foi empossado no cargo nesta quinta-feira (11), garantindo a continuidade da administração local.

Simão Preso

Simão Peixoto, o prefeito agora detido, se entregou à Polícia Federal na terça-feira (9). Após audiência de custódia, foi determinado seu afastamento das funções públicas por 180 dias, além de outras diligências para a coleta de provas.

As investigações apontam irregularidades nos kits de merenda escolar fornecidos, como a ausência ou quantidade reduzida de carne de boi, divergências nos volumes contratados, falta de charque nos kits, indícios de falsificação nos recibos de entrega e possíveis pagamentos sem documentação comprobatória.

A prisão preventiva e o afastamento do cargo foram solicitados após evidências de que o prefeito conduziu uma videoconferência com servidores municipais intimados pela Polícia Federal, oferecendo assistência jurídica e fretamento de aeronave custeados pela Prefeitura. Tais atos sugerem uma tentativa de influenciar indevidamente as testemunhas, de acordo com a Polícia Federal.

A juíza Ana Paula Serizawa determinou que Simão Peixoto permanecesse detido em uma sala isolada em uma unidade prisional de Manaus, com dieta sem lactose e acesso aos remédios de uso contínuo. O desdobramento do caso continua a atrair a atenção da comunidade local e autoridades.