segunda-feira, 26, fevereiro, 2024

adm.portalatualizado@gmail.com
(92)98474-9643

Search
Close this search box.

David Almeida aciona polícia após ser vítima de deepfake: áudio manipulado usando Inteligência Artificial

Um áudio circulando em grupos de WhatsApp desde ontem (21/12) aponta para um possível marco negativo nas eleições de 2024, revelando o uso da inteligência artificial como ferramenta para ataques políticos. Nesse caso, a primeira vítima é o prefeito de Manaus, David Almeida (Avante), que teve sua voz manipulada em um áudio que vocifera ataques e insultos contra professores municipais.

Na montagem, utilizando inteligência artificial, com duração de cerca de 8 segundos, uma voz que parece a do prefeito é ouvida chamando os professores de “vagabundos”, acusando-os de buscar dinheiro de forma fácil. O conteúdo do áudio gerou indignação e levou David Almeida a tomar providências imediatas para identificar a origem dos disparos e prometer denunciar os responsáveis à Justiça.

Este incidente em Manaus indica uma preocupante incursão da inteligência artificial no cenário político, gerando debates e audiências públicas no Congresso Nacional nos últimos dias. O temor generalizado entre políticos é o uso de deep fakes, situações em que, por meio de inteligência artificial e montagens, fatos são fabricados e discursos são manipulados para prejudicar candidatos.

 Medidas

O presidente da Câmara dos Deputados, Arthur Lira (Progressistas-AL), expressou sua intenção de priorizar a aprovação de regras que inibam a disseminação desses deep fakes. Tais situações, alimentadas por algoritmos e inteligência artificial, podem criar narrativas falsas capazes de impactar significativamente as eleições.

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Alexandre de Moraes, alertou sobre a necessidade urgente de regulamentar o uso da inteligência artificial, especialmente para as Eleições Municipais de 2024. Ele ressaltou a periculosidade do mecanismo, enfatizando a falta de transparência e controle sobre algoritmos, o que contribui para a impunidade em casos de manipulação.

Fonte: CM7