sábado, 20, julho, 2024

adm.portalatualizado@gmail.com
(92)98474-9643

Search
Close this search box.

‘Enem dos concursos’: confira data de inscrição e as cidades

O concurso nacional unificado teve a prova adiada para maio, o período de inscrição confirmado e a inclusão de novas cidades como locais de exame. As medidas foram anunciadas pelo Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços Públicos nesta quinta-feira (14).

Também chamada de “Enem dos concursos”, a prova está prevista para 5 de maio. Até então, o ministério estimava que o exame seria entre fevereiro e março do próximo ano. O edital com as regras do processo seletivo será divulgado em 10 de janeiro.

A pasta também revelou o período de inscrições: de 19 de janeiro até 9 de fevereiro.

De acordo com o ministério, as alterações foram definidas após negociação com a Cesgranrio, empresa responsável pela realização do concurso, que foi escolhida no fim de novembro.

“Recebemos muitas solicitações pelas redes sociais de que as pessoas tivessem mais tempo para estudar”, explica a ministra Esther Dweck sobre as alterações.

Outra mudança foi a inclusão de mais 37 cidades para receber a prova. Com isso, 217 municípios do Brasil estão na relação.

CONFIRA O NOVO CRONOGRAMA DO CONCURSO NACIONAL UNIFICADO

  • Publicação do edital: 10 de janeiro de 2024
  • Inscrições: 19 de janeiro a 9 de fevereiro de 2024
  • Divulgação dos dados finais de inscrições: 29 de fevereiro de 2024
  • Divulgação dos cartões de confirmação: 29 de abril de 2024
  • Aplicação das provas: 5 de maio de 2024
  • Divulgação dos resultados das provas objetivas e preliminares das provas discursivas e redação: 3 de junho de 2024
  • Divulgação final dos resultados: 30 de julho de 2024
  • Início da convocação para posse e cursos de formação: 5 de agosto de 2024

Cidades incluídas como locais de provas: Ananindeua (PA), Aparecida de Goiânia (GO), Várzea Grande (MT), Camaçari (BA), Lauro de Freitas (BA), Caucaia (CE), Maracanau (CE), Jaboatão dos Guararapes (PE), Olinda (PE), Parnamirim (RN), São José dos Pinhais (PR), Farroupilha (RS), São José (SC), Serra Velha (ES), Vila Velha (ES), Betim (MG), Contagem (MG), Belford Roxo (RJ), Duque de Caxias (RJ), Niterói (RJ), Nova Iguaçu (RJ), São Gonçalo (RJ), São João de Meriti (RJ), Caçapava (SP), Guarulhos (SP). Hortolândia (SP), Jacareí (SP), Mauá (SP), Mogi das Cruzes (SP). Osasco (SP), Paulínia (SP), Santo André (SP), São Bernardo do Campo (SP), São Caetano do Sul (SP), Taboão da Serra (SP), Valinhos (SP) e Vinhedo (SP)

MAIS DE 6.000 VAGAS

O concurso é para 6.640 vagas, em 20 órgãos públicos. A lista de cargos inclui oportunidades de analista, técnico administrativo, engenheiro, assistente social, técnico em comunicação social, médico, economista, advogado, analista de comércio exterior, arquiteto, arquivista e médico, entre outras.

O maior número de postos oferecidos é para auditor fiscal do trabalho, que terá 900 chances. O salário para a função é de R$ 22,9 mil, segundo dados do Portal da Transparência do governo federal. O órgão que mais oferece cargos é o próprio MGI, com 1.480 vagas.

VEJA A LISTA COMPLETA COM TODOS OS CARGOS E O TOTAL DE VAGAS

ÓrgãoCargoVagas
Ministério da Gestão e da Inovação em Serviços PúblicosEspecialistas em políticas públicas e gestão governamental150
Analista de infraestrutura300
Analista técnico de políticas sociais360
Analista em tecnologia da informação300
Analista técnico-administrativo190
Economista27
Psicólogo2
Estatístico12
Técnico em comunicação social10
Técnico em assuntos educacionais2
Arquivista16
Arquiteto14
Engenheiro68
Bibliotecário4
Contador5
Médico20
Mdic (Ministério do Desenvolvimento, Indústria, Comércio e ServiçosAnalista de comércio exterior50
Analista técnico-administrativo50
Economista10
Agência Nacional de Transportes AquaviáriosEspecialista em regulação de serviços de transportes aquaviários30
Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica)Especialista em regulação de serviços públicos de energia40
Mapa (Ministério da Agricultura e Pecuária e Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia)Auditor-fiscal federal agropecuário200
Analista em ciência e tecnologia40
Tecnologista40
Agente de atividades agropecuárias100
Agente de inspeção sanitária e industrial de produtos de origem animal100
Técnico de laboratório40
Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária)Analista Administrativo137
Analista em reforma e desenvolvimento agrário446
Engenheiro agrônomo159
Ministério da Ciência, Tecnologia e InovaçãoAnalista em ciência e tecnologia296
Ministério dos Direitos HumanosAnalista técnico de políticas sociais40
Ministério da EducaçãoAnalista técnico de políticas sociais70
Funai (Fundação Nacional dos Povos Indígenas)Indigenista especializado152
Administrador26
Antropólogo19
Arquiteto1
Arquivista1
Assistente social21
Bibliotecário6
Contador12
Economista24
Engenheiro20
Engenheiro agrônomo31
Engenheiro florestal2
Estatístico1
Geógrafo4
Psicólogo6
Sociólogo12
Técnico em assuntos educacionais2
Agente em Indigenismo152
Técnico em comunicação social10
Ministério da SaúdeTecnologista220
Ministério da Justiça e Segurança PúblicaAnalista técnico-administrativo100
Analista técnico de políticas sociais30
MET (Ministério do Trabalho e Emprego)Auditor fiscal do trabalho900
Previc (Superintendência Nacional de Previdência Complementar)Analista administrativo15
Especialista em previdência complementar25
ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar)Especialista em regulação de saúde suplementar35
Analista de planejamento, gestão e infraestrutura em informações geográficas e estatísticas275
IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística)Tecnologista em informações geográficas e estatísticas312
Pesquisador em informações geográficas e estatísticas8
Técnico em informações geográficas e estatísticas300
AGU (Advocacia-Geral da União)Administrador154
Arquiteto5
Arquivista2
Analista técnico-administrativo90
Contador47
Economista35
Engenheiro18
Estatístico7
Médico3
Psicólogo10
Técnico em assuntos educacionais20
Técnico em comunicação social9
Ministério dos Povos IndígenasAnalista técnico-administrativo30
Ministério do Planejamento e OrçamentoAnalista técnico-administrativo45
Economista15
Ministério da CulturaAnalista técnico-administrativo50
Total de vagas6.590

COMO SURGIU O CONCURSO NACIONAL UNIFICADO

A proposta de um Concurso Nacional Unificado partiu da ministra da Gestão e Inovação em Serviços Públicos Esther Dweck, que revelou em entrevista a ideia de juntar todos os concursos públicos.

“É um processo de democratização do acesso para se tornar servidor público, mas também no sentido de que há uma retomada do processo de contratação para o setor, reforçando o fortalecimento do Estado brasileiro”, afirmou a ministra em entrevista à coluna da Mônica Bergamo.

Dweck ainda afirma que a ideia da prova unificada nasceu a partir da constatação de que diversos órgãos federais estão há muito tempo sem concursos, e de que muitas das provas são realizadas nas grandes cidades. A experiência adquirida com a realização do Enem surgiu, então, como uma inspiração para remodelar os processos seletivos.

COMO CONCORRER

As provas do concurso unificado estão previstas para 5 de maio. O edital trará as regras de participação. As informações estão no site oficial no concurso: https://www.gov.br/gestao/pt-br/concursonacional.

Estão previstas cotas para candidatos negros e indígenas e pessoas com deficiência, conforme determina a legislação federal.

Há um guia sobre o concurso, que orienta os interessados sobre os pontos nos quais o candidato deve prestar atenção durante o processo, como a permissão de apenas uma inscrição por CPF (Cadastro de Pessoa Física), além de ser específico ao optar pelo cargo no qual melhor se enquadra.

COMO ESCOLHER O CARGO A QUE VAI CONCORRER?

No momento da inscrição, os candidatos deverão optar por um dos blocos das áreas de atuação que estiverem disponíveis. Depois dessa escolha, os candidatos deverão indicar o cargo ou a carreira por ordem de preferência entre as vagas disponíveis no bloco escolhido.

Segundo o MGI, o objetivo do Enem dos concursos públicos é “promover igualdade de oportunidades de acesso aos cargos públicos efetivos”, além de padronizar procedimentos na aplicação das provas federais e aprimorar os métodos de seleção dos servidores.

A intenção é “priorizar as qualificações necessárias para o desempenho das atividades inerentes ao setor público e zelar pelo princípio da impessoalidade na seleção dos candidatos em todas as fases e etapas do certame”, diz o órgão.

*Com informações da Folha de S.Paulo