quarta-feira, 17, julho, 2024

adm.portalatualizado@gmail.com
(92)98474-9643

Search
Close this search box.

De janeiro a novembro, prefeitura supera em 33% total de certidões de endereço emitidas em 2022

Com mais 208 certidões de endereço emitidas em novembro, a Prefeitura de Manaus soma 2.645 documentos expedidos pelo Instituto Municipal de Planejamento Urbano (Implurb), uma alta de 33% comparando com 2022, quando o órgão teve a expedição de 1.990.

Neste ano, a média é de 240,4 documentos emitidos por mês. De janeiro de 2021 a novembro deste ano, a Gerência de Mobilidade Urbana (GMU) realizou a emissão de 6.291 documentos. Comparando os meses, a alta em novembro é de 12,4%, sendo que ano passado foram 185 documentos, contra 208 deste ano.

A primeira via do documento é expedida totalmente gratuita ao requerente. A certidão é usada para quem precisa comprovar o endereço oficial, seja de pessoas físicas ou de pessoas jurídicas. O documento oficializa o endereço do imóvel no espaço geográfico do município de Manaus, fazendo a atualização do endereçamento conforme a lei vigente.

Quem precisa da comprovação deve consultar no site implurb.manaus.am.gov.br, na seção “Lista de Documentos”, o que precisa apresentar para fazer o pedido.

Com o requerimento padrão preenchido e com os documentos exigidos, todos digitalizados, o solicitante deve enviar o pedido para o atendimento para o endereço respostaimplurb@outook.com. Vale ressaltar que os documentos devem ser enviados em formato PDF e o processo é todo on-line, inclusive para acesso à certidão digital.

“O atendimento presencial na Gerência de Mobilidade Urbana (GMU) é feito de 8h às 12h, nos dias de segunda, quarta e sexta-feira, exceto feriados e pontos facultativos”, afirmou a gerente do GMU, arquiteta Carolina Azevedo. Para entrar em contato  com o setor, pode enviar e-mail para gmu.implurb@manaus.am.gov.br ou ligar no (92) 3625-6582.

Documentação

Para solicitar o documento, é preciso apresentar requerimento padrão específico da Certidão de Endereço; documentos que identifiquem a matrícula do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU); contrato de compra e venda ou outro documento que comprove a posse do imóvel; comprovante de residência; croqui de localização (pode ser feito à mão ou pode ser uma imagem do Google Maps, com a indicação do lote); contrato de locação, quando for imóvel alugado; contrato social, quando se tratar de empresa. Os documentos devem ser apresentados originais digitalizados.

Fonte: Fato Amazônico