sexta-feira, 12, julho, 2024

adm.portalatualizado@gmail.com
(92)98474-9643

Search
Close this search box.

Débora Menezes defende permanência do programa educacional das escolas cívico-militares no Amazonas

A deputada Débora Menezes (PL) tem se mostrado incansável na luta pela manutenção do Plano Nacional das Escolas Cívico-militares (PECIM), no Amazonas. Mesmo diante da decisão final do Governo Federal, por meio do Ministério da Educação, de extinguir o programa educacional até o fim do ano, a parlamentar continua firmemente empenhada em garantir que os benefícios do PECIM sejam preservados e mantidos pelo Governo do Amazonas às escolas que já são contempladas com o programa educacional.

“Estou trabalhando para que os estudantes dessas sete unidades de ensino participantes do programa de escolas cívico-militares não sejam prejudicados. Dessas escolas seis estão situadas em Manaus e uma em Tabatinga, onde visitamos e coletamos relatos pontuais da comunidade escolar para assim tomarmos um posicionamento mais assertivo. Sabemos dos prejuízos que o fim do programa pode ocasionar na vida destes jovens”, destacou a deputada.

Lançado em 2019 durante a gestão do ex-presidente Jair Bolsonaro, o programa educacional PECIM conquistou resultados exitosos no Amazonas, proporcionando educação de qualidade, baseada em princípios cívicos e militares, que contemplavam não só o desenvolvimento intelectual dos estudantes, mas também valores éticos e morais necessários para a formação de cidadãos conscientes e responsáveis.

Entre os objetivos para a manutenção do PECIM está o combate à evasão e o abandono escolar e diminuição da reprovação dos estudantes com a repetência de série. O corpo docente da escola tem o apoio dos militares das Forças Armadas, compartilhando de modo simultâneo da gestão escolar nas áreas educacional, pedagógica e administrativa.

Os indicadores e dados pontuais do PECIM dão conta que houve uma redução nos casos de violência física e patrimonial em 90%. Em relação ao abandono e evasão escolar, houve uma redução de 87%.

A parlamentar tem se dedicado a visitar as escolas cívico-militares no Amazonas, coletando dados e informações diretamente dos gestores, professores, pais e estudantes. A proximidade com a realidade dessas instituições permite um embasamento mais eficaz no momento de destinar emendas e buscar recursos para auxiliar na manutenção do PECIM no Amazonas.

A deputada reconhece os prejuízos que a extinção do programa educacional traria não apenas aos estudantes, mas também aos pais, que viram os filhos se beneficiarem com a metodologia diferenciada do PECIM. O acompanhamento dedicado por parte de militares capacitados e professores engajados proporcionou um ambiente disciplinado e seguro, onde o desempenho educacional foi elevado e o protagonismo juvenil foi estimulado.

A parlamentar está determinada a não deixar que todo o esforço e investimento feito no PECIM se percam. A deputada entende que é fundamental garantir que todos os estudantes do Amazonas tenham acesso a uma educação de qualidade, que vá além da transmissão de conhecimentos, mas que forme cidadãos conscientes e participativos em nossa sociedade.

A destinação de emendas parlamentares e a busca de toda a ajuda possível para a não extinção do PECIM é o caminho escolhido pela deputada para enfrentar esse desafio. A parlamentar se coloca à disposição do programa, do Governo do AM, através do diálogo com os gestores e a comunidade em geral, na luta pela continuidade desse programa, que já demonstrou sua eficácia e seu impacto positivo na vida dos estudantes amazonenses.

“Estive visitando uma escola no bairro São Jorge, que integra o PECIM. Investir na educação é prioridade no nosso mandato. Continuarei na luta para defender a permanência, pois além dos princípios e valores, diminui a evasão escolar. Lutarei para manter o programa que vem trazendo grandes mudanças para a família e população”, ressaltou a deputada.

A parlamentar já tinha apresentado um requerimento solicitando a manutenção do modelo cívico-militar das escolas públicas no Amazonas, e assim, continuará sua defesa e luta para que o PECIM não seja desfeito no Estado impactando a vida de mais de seis mil estudantes amazonenses.

No Amazonas são sete escolas cívico-militares contempladas pelo PECIM. Seis delas em Manaus e uma em Tabatinga. Todas com administração compartilhada entre militares e civis.

Escolas cívico-militar Manaus:

Escola Estadual Professor Nelson Alves Ferreira;
Escola Estadual Professora Tereza Siqueira Tupinambá;
Escola Estadual Professor Reinaldo Thompson;
Escola Estadual Fueth Paulo Mourão;
Escola Estadual Homero de Miranda Leão;
Escola Municipal Gilberto Rodrigues dos Santos.

Escola cívico-militar em Tabatinga:

Escola Estadual Conceição Xavier de Alencar.