quarta-feira, 17, julho, 2024

adm.portalatualizado@gmail.com
(92)98474-9643

Search
Close this search box.

Atirador confessa crime e diz que foi contratado por R$ 5 mil para matar servidor do TCE, mas não recebeu

Hewerton Kauan Oliveira Cavalcante, 18, suspeito de executar a tiros o advogado e servidor do Tribunal de Contas do Estado, Erwin Rommel Godinho Rodrigues que tinha 54 anos, preso neste domingo (3) em Manaus, de acordo com o delegado Ricardo Cunha, da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), confessou crime e disse ter sido contratado para matar o servidor e receberia o pagamento de R$ 5 mil, mas não recebeu pelo serviço.

O delegado disse ainda que o suspeito disse não saber quem o contratou e muito menos a motivação do crime.  “Ele diz que foi contratado para isso, mas que não sabe quem o contratou, mas a gente acha, obviamente que ele está contando uma mentira”, disse Ricardo Cunha, afirmando que as investigações continuam.

“Prendemos o atirador e as investigações que seguem em várias linhas nos levará em breve aos outros participantes do crime”, acrescentou o delegado, informando que o acusado disse que chegou mais cedo nas proximidades do restaurante onde a vítima estava e aguardou o momento exato para agir.

De acordo com o delegado, assim que a vítima saiu do restaurante com um amigo e caminhava na via, Hewerton Kauan, atravessou e ao chegar perto do servidor do TCE fez o primeiro disparo que atingiu a vítima de raspão.

A vítima saiu correndo e foi perseguido por Hewerton Kauan, que assim que Erwin Rommel caiu no chão, ele efetuou mais cinco disparos e fugiu.

“Ele disse que fugiu e se desfez da arma e da roupa usada no dia no crime”, informou o delegado Ricardo Cunha, acrescentando que várias imagens de câmeras de segurança das proximidades do restaurante ajudaram a polícia a chegar a atirador, que de acordo com a polícia é principiante no mundo do crime.

Fonte: Fato Amazônico