sábado, 20, julho, 2024

adm.portalatualizado@gmail.com
(92)98474-9643

Search
Close this search box.

Homem alega ser filho de Zeca Pagodinho e aciona cantor na Justiça

Diego Maradona Teixeira, de 36 anos, alega ser filho de Zeca Pagodinho e entrou na Justiça para exigir que o cantor faça o exame de DNA. De acordo com os documentos obtidos por Leo Dias, o procedimento já havia sido marcado, mas a equipe do artista desmarcou por conta do “conflito de agendas”. As informações são de Metrópoles.

Sergipano, o xará do craque argentino contou que sua mãe teve um relacionamento amoroso com Zeca em 1987, quando o sambista já era casado com Mônica Silva, sua atual esposa. Ela decidiu ter o filho por conta própria e deixou os cuidados com os padrinhos, que o adotaram um tempo depois, quando ele tinha 11 anos.

Diego explicou que só soube quem era o seu pai após muita insistência de sua família e que só procurou a assessoria de Zeca em 2017. Após algumas respostas, entretanto, eles pararam de interagir com o rapaz. Ele só voltou a procurar o pagodeiro em 2023, com um pedido extrajudicial para realizar o teste de DNA.

A equipe de Zeca Pagodinho aceitou o pedido e o exame foi marcado para julho deste ano, no Rio de Janeiro. Porém, três dias antes, o cantor desmarcou e alegou “conflito de agenda”. O problema é que não há consenso para uma nova data, já que o rapaz deseja que tudo seja feito em um laboratório e o artista quer que seja feito em seu escritório.

A situação gerou um desentendimento entre as duas partes. Enquanto Diego acusa a equipe de Zeca de tentar burlar o acordo, o cantor alega que o rapaz quer tornar a história pública. O suposto filho do artista agora tenta obrigar que ele faça o teste de DNA em um laboratório.

Para o site de Leo Dias, a assessoria de Zeca Pagodinho se pronunciou sobre o imbróglio.“O advogado do artista Zeca Pagodinho, Caio Mariano, informa que, uma vez procurado pelo representante do requerente, o artista sempre se colocou à disposição para a realização do exame de DNA. Ocorre que o requerente não aceitou que o exame fosse realizado em um local privado sugerido pelo artista, que embora seja pessoa pública, necessita ter sua intimidade preservada. Optou portanto o requerente em não fazer o exame em local sugerido pelo artista. Tomamos conhecimento via imprensa que o requerente recorreu ou recorrerá à via judicial para realização do procedimento. Caso o judiciário determine que seja realizado, o artista o fará como cidadão e cumpridor da lei que é.”

Fonte: Em Tempo